notícias & releases

<?php the_title( '

', '

' ); ?>

Procon-SP irá capacitar os atacadistas e varejistas

Publicado em
 
Representantes da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (CEAGESP), Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), Fundação Procon-SP e Procon Paulistano se reuniram hoje (23/6) para estabelecer as bases de um Termo de Cooperação Técnica com o objetivo de atender melhor a população e garantir a qualidade dos produtos vendidos no atacado e varejo.
 
De acordo com a FAO – órgão da ONU para agricultura e alimentação – o Brasil descarta 1/3 dos alimentos que produz desde a colheita até o consumidor final. As perdas de comida ainda boa para consumo nos mercados e lares representam 40% do total. Segundo o Instituto Akatu são 41 mil toneladas de alimentos desperdiçados por dia somados a 100 bilhões de litros de água que equivalem a 10% do volume útil do Sistema Cantareira.
 
Capacitar os atacadistas e varejistas é um começo para evitar o desperdício e reduzir o lixo, uma preocupação do gerente do Departamento de Entreposto da Capital – Pedro Horta. Segundo ele, 50% das frutas e hortaliças produzidas passam pelas Ceasas e 30% delas pelo Ceagesp. A adoção de melhores práticas no entreposto da capital pode servir de modelo para outros.
 
Embora já exista um programa interno de reciclagem, a ideia do grupo é obter através do Procon Paulistano apoio para a ampliação da coleta seletiva e a adoção de um programa de logística reversa. Adriano Nonato Rosseti, diretor do Departamento de Defesa do Consumidor se dispôs a buscar alternativas para essas questões no âmbito municipal.
 
À Fundação Procon caberá o desenvolvimento de palestras de capacitação direcionadas ao setor, formulação de uma cartilha e numa última etapa realizar a fiscalização para garantir o cumprimento das normas adotadas. Os contratos dos permissionários estão em fase de renovação, o que permite a inclusão de novas exigências. Para o diretor executivo da Procon- SP, Paulo Miguel, nesse projeto a fundação cumpre sua missão de forma integral: educar, orientar e fiscalizar.
 
O projeto deverá envolver o corpo técnico de todas as entidades que, juntas, deverão fazer um diagnóstico da realidade atual. O Secretário Nacional do Consumidor, Arthur Luís Mendonça Rollo destacou também a necessidade de se avaliar a estrutura do entreposto (banheiro, estacionamento, bares, restaurantes, lanchonetes, etc.) e envolve-las nesse estudo.
 
Para finalizar, será criado um Selo Ceagesp para identificar aqueles que adotam melhores práticas. Um selo de garantia para o comerciante e o consumidor.