Seu navegador não suporta scripts. Por favor, acesse este site utilizando outro navegador de sua preferência.

Fundação PROCON SP


Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania de São Paulo

Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor

TERÇA-FEIRA, 2 DE SETEMBRO DE 2014

Compartilhar:

 
 
  Enviar por email Imprimir notícia


Nota Fiscal Paulista

7 de FEVEREIRO de 2008

   
Operação "CPF na Nota" encontra irregularidade em 26 estabelecimentos comerciais


Os fiscais da Secretaria da Fazenda e da Fundação Procon, órgão da Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania – bem como do Procon dos municípios a ela conveniados –, encontraram irregularidade em 26 dos 40 estabelecimentos comerciais fiscalizados dia 29/01 em 12 municípios do Estado São Paulo. Esta foi a segunda operação CPF na Nota realizada com base na reclamação de 29.931 consumidores a respeito da não emissão de documento fiscal ou da sua falta de registro nos sistemas da Secretaria da Fazenda.
O objetivo da operação era verificar se os estabelecimentos comerciais estavam emitindo as notas fiscais com o CPF ou o CNPJ de seus consumidores, como prevê o projeto Nota Fiscal Paulista. O projeto, instituído pela Lei n° 12.685/07, prevê a devolução de 30% do ICMS mensalmente recolhido pelo estabelecimento comercial, aos consumidores identificados pelo CPF ou CNPJ no momento da compra, proporcionalmente ao valor registrado nas notas e cupons fiscais emitidos.
O valor total das multas aplicadas pelo Procon aos 26 estabelecimentos correspondem a R$ 44.640,00. A lei prevê uma multa de R$ 1.488,00 para cada documento fiscal não emitido ou registrado. Essa multa possui natureza não tributária, sendo aplicada pelo Procon-SP. As reclamações dos consumidores não foram comprovadas em nove estabelecimentos comerciais fiscalizados. Cinco empresas ainda encontram-se sob análise do Fisco Paulista.
A Secretaria da Fazenda recebeu entre as reclamações de consumidores que acessaram o sistema da Nota Fiscal Paulista denúncias a respeito de documentos fiscais emitidos e não registrados. A operação vai continuar e será realizada em todas as regiões do Estado e os próximos estabelecimentos que serão selecionados para fiscalização conjunta de agentes do Fisco e do Procon são exatamente os que não estão registrando devidamente as notas e/ou cupons fiscais emitidos.
O Fisco Paulista também identificou em 21 estabelecimentos fiscalizados nesta operação quase R$ 4 milhões de diferença entre o faturamento declarado pelo contribuinte e as informações das administradoras de cartões de crédito que são passadas regularmente pela a Secretaria da Fazenda. Em toda Operação CPF na Nota, os fiscais vão continuar confrontando o banco de dados do Fisco com a base de dados fornecida pelas empresas administradoras dos cartões.


07/02/08
Assessoria de Imprensa / Procon-SP
 




 

Fundação PROCON SP - Todos os direitos reservados