Seu navegador não suporta scripts. Por favor, acesse este site utilizando outro navegador de sua preferência.

Portal do Governo do Estado de São Paulo

Fundação PROCON SP

Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania de São Paulo

Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor

Enviar por email Imprimir notícia


Consumo consciente de água

14/2/2007

Seminário realizado no Procon-SP abordou o tema.

A Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, realizou, no dia 13 de fevereiro, o seminário "Consumo Sustentável e o Direito à Água". O evento, integrante do calendário anual que visa a difusão e o intercâmbio de conhecimentos que subsidiem a Política Estadual de Defesa do Consumidor, teve a participação de dirigentes e funcionários dos órgãos públicos e entidades civis de defesa do consumidor, universitários, fornecedores e público em geral.
 
Na abertura dos trabalhos, o diretor-executivo do Procon-SP, Roberto Pfeiffer, reafirmou o compromisso de colocar a questão do consumo sustentável como uma das prioridades de sua gestão. Para ele é fundamental educar e conscientizar os consumidores e empresas sobre a importância de utilizar e produzir produtos que não agridam o meio ambiente. "É preciso estudar formas de controlar publicidades que desrespeitem as questões ambientais", frisou.
 
A mesa de debates  foi composta por  Fabíola Marono Zerbini - presidente do Fórum de Articulação do Comércio Ético e Solidário do Brasil (FACES), Leila de Carvalho Gomes – diretora de procedimentos de outorgas e fiscalização do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), Hélio Luiz Castro, superintendente da Unidade de Negócios de Produção de Água da Sabesp, e Marilena Lazzarini, coordenadora do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). Todos os palestrantes concordaram que a melhor forma de solucionar os problemas ocasionados pelo consumo predatório dos recursos naturais é a educação.
 
Durante o evento foram discutidos dados preocupantes em relação a escassez da água no Planeta Terra, menos de 1% dela é própria para o consumo humano. Outra questão difundida durante o encontro foi a forma com que a agricultura  utiliza os recursos hidrográficos. Segundo Leila de Carvalho, "os irrigantes usam formas arcáicas para realizar o seu trabalho", afirmou a diretora do DAEE que apontou os trabalhadores agrícolas como o maior grupo de usuários de água do Estado de São Paulo.
 
Nesta mesma linha de raciocínio, Hélio de Castro lembrou que o fato da agricultura consumir muita água e de forma desordenada não é o único problema: "Também há o uso de fertilizantes que contaminam o solo e muitas vezes são despejados nos rios". Ele ainda apontou o acelerado processo de urbanização, o crescimento populacional elevado e a desigualdade social como  causas da dificuldade para suprir a demanda existente na Região Metropolitana de São Paulo. Segundo ele, os problemas apontados não impedem que a Sabesp busque alternativas para manter o bom funcionamento no seu serviço de abastecimento de água. Marilena Lazzarini apresentou um vídeo produzido pelo Idec sobre a importância da preservação da água. Esse "filme" somado à livros publicados pela entidade são algumas das ferramentas utilizadas para o auxiliar a conscientização das pessoas sobre o direito de consumir água, e, também, a obrigação de preservar um recurso que ao contrário do que pode-se imaginar é finito.
 
Para Fabíola Zerbini, a educação deve ser priorizada em assuntos que envolvem questões ambientais, pois, segundo ela, eles deixaram de ser uma luta "romântica" de ativistas para se tornar uma discussão racional, principalmente após a divulgação de estudos sobre o aquecimento global. No entanto ela ressaltou que apenas debater o assunto não resolve, é necessário partir para ações práticas que visem despertar a população para uma problemática cada vez mais presente nos dias de hoje.
 
Ao final das explanações, a platéia presente no auditório da Fundação Procon-SP foi convidada a participar do debate, formalizando perguntas aos palestrantes.
 
13/02/07
Assessoria de Imprensa/Procon-SP
Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania
 
 


 
Para orientações e denúncias ligue para 151. O horário de funcionamento é de segunda à sexta das 8h às 17h.
Fundação Procon - SP - Todos os direitos reservados