Seu navegador não suporta scripts. Por favor, acesse este site utilizando outro navegador de sua preferência.

Portal do Governo do Estado de São Paulo

Fundação PROCON SP

Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania de São Paulo

Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor

Enviar por email Imprimir notícia


Pesquisa Dia das Crianças

4/10/2010

Procon-SP encontra variação de até 133,78% nos preços dos brinquedos

Pesquisa realizada por técnicos da Fundação Procon-SP encontrou diferenças de até 133,78% nos preços de brinquedos vendidos na capital. Essa variação, a maior constatada pelo levantamento, foi no brinquedo Fala Filhinha. Enquanto o estabelecimento Estrela Magazine, na zona leste, vendia o produto por R$29,90, o Carrefour Imigrantes, na zona sul, vendia a R$69,90, diferença de R$40,00.

Após comparação de produtos comuns entre as pesquisas realizadas pelo Procon-SP em 2009 e 2010 constatou-se que houve, em média, acréscimo nos Brinquedos de 7,13%. O Índice de Preços ao Consumidor - IPC da FIPE, referente ao período de setembro de 2009 a agosto de 2010, registrou uma variação de 4,37%.

O estabelecimento Armarinhos Fernando, no centro, foi o que apresentou a maior quantidade de produtos com menor preço (42 itens dos 48 encontrados).

Número de itens, por loja, com preços menores ou iguais aos preços médios obtidos:

Norte:
B. Mart – 15 itens de 38 encontrados (39,47%)
Extra Hipermercado – 25 itens de 36 encontrados (69,44%)

Sul:
Carrefour Imigrantes – 11 itens de 32 encontrados (34,38%)

Leste:
Lojas Americanas – 6 itens de 25 encontrados (24,00%)
Estrela Magazine – 37 itens de 59 encontrados (62,71%)

Oeste:
P. B. Kids – 10 itens de 54 encontrados (18,52%)
Wal Mart – 8 itens de 30 encontrados (26,67%)
 
Centro:
Armarinhos Fernando – 46 itens de 48 encontrados (95,83%)
MP Brinquedos – 53 itens de 63 encontrados (84,13%)

A pesquisa, realizada de 15 a 17 de setembro, envolveu nove estabelecimentos comerciais, distribuídos pelas cinco regiões de São Paulo. Foram pesquisados 103 itens, mas em função do desabastecimento das lojas, estão sendo divulgados 70.

Inicialmente a amostra era composta por dez lojas, mas em função da não autorização da loja Preço Center (situada no Shopping Metrô Santa Cruz, na região Sul) da divulgação dos seus preços, a amostra foi reduzida para nove estabelecimentos. Constata-se que algumas lojas desse segmento do mercado resistem em autorizar a coleta dos preços, o que demonstra a falta de colaboração e transparência, já que a pesquisa de preços é um instrumento eficaz no processo de educação ao consumidor. Quem permite o levantamento garante ao consumidor um dos principais direitos previsto no Código de Defesa do Consumidor, o direito a informação.

Percentual de abastecimento de produtos, por região, em relação ao total de 70 itens divulgados:

Norte:
B.Mart – 38 itens (54,29%)
Extra Hipermercados – 36 itens (51,43%)

Sul:
Carrefour Imigrantes – 32 itens (45,71%)

Leste:
Lojas Americanas – 25 itens (35,71%)
Estrela Magazine – 59 itens (84,29%)

Oeste:
P.B. Kids – 54 itens (77,14%)
Wal Mart – 30 itens (42,86%)

Centro:
Armarinhos Fernando – 48 itens (68,57%)
MP Brinquedos – 63 itens (90,00%)

Dicas para o consumidor

O Procon-SP recomenda que o consumidor verifique na embalagem os seguintes dados: a faixa etária a que se destina, a identificação do fabricante, as instruções de uso e de montagem, a existência do selo de segurança INMETRO – que indica que o produto foi fabricado e comercializado de acordo com as normas técnicas em vigor – juntamente com o selo de um órgão credenciado (IQB, Falcão Bauer). Produtos importados devem apresentar as mesmas informações exigidas para os nacionais, em língua portuguesa; os brinquedos comercializados por ambulantes, embora possam apresentar menor preço, muitas vezes não possuem o selo de certificação.

Uma vez escolhido o brinquedo, é conveniente pesquisar o preço e as formas de pagamento em vários estabelecimentos, já que o mercado apresenta diferenças significativas, como as constatadas na pesquisa. Deve ser sempre considerado o custo benefício do deslocamento no caso de estabelecimentos que estão apresentando produtos mais baratos que os da sua região, bem como, a comodidade e a segurança de comprar em lojas com estacionamento ou localizadas em shoppings. Por fim, o consumidor deve sempre exigir a nota fiscal no ato da compra.

É comum crianças precisarem de cuidados médicos devido a ferimentos acidentais provocados por brinquedos. Se após o lançamento no mercado de um produto, for detectado que este pode causar risco à saúde, vida ou segurança do consumidor, o Código de Defesa do Consumidor em seu artigo 10,§ 1º, prevê o “Recall” (chamamento), que consiste em um conjunto de medidas que visam alertar, informar, prevenir e minimizar os danos aos consumidores. O fornecedor é obrigado a retirar o brinquedo de circulação, além de providenciar imediatamente, à escolha do consumidor, a troca ou a restituição do valor.
 
Planilha e Graficos

04/10/2009
Assessoria de imprensa
Procon-SP


 
Para orientações e denúncias ligue para 151. O horário de funcionamento é de segunda à sexta das 8h às 17h.
Fundação Procon - SP - Todos os direitos reservados