Seu navegador não suporta scripts. Por favor, acesse este site utilizando outro navegador de sua preferência.

Fundação PROCON SP


Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania de São Paulo

Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor

SEGUNDA-FEIRA, 20 DE OUTUBRO DE 2014

Compartilhar:

 
 
  Enviar por email Imprimir notícia


Garantia Estendida

16 de OUTUBRO de 2009

Pesquisa revela que informação ao consumidor é inadequada

Pesquisa realizada pela Fundação Procon-SP sobre garantia estendida constatou que a maioria dos consumidores (71,26%) que contrataram este serviço não foram informados de que se tratava de um seguro. Outra falha detectada relacionada à informação foi que 31,03% não receberam o contrato. Entre os que tiveram acesso ao contrato, para quase todos (96,67%) isso só ocorreu no ato da contratação, ou seja, não tiveram conhecimento prévio das cláusulas previstas nas Condições Gerais da Apólice.
 
Normalmente oferecido no mercado de eletrodomésticos e eletroeletrônicos, a garantia estendida é uma modalidade de seguro normatizada pela SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), cujo objetivo é fornecer ao segurado a extensão e/ou complementação da garantia original de fábrica, estabelecida no contrato de compra e venda de bens, mediante pagamento de prêmio.
O objetivo desta pesquisa é captar a posição e a percepção do consumidor frente a algumas questões do contrato de garantia estendida, bem como a qualidade e abrangência das informações recebidas por ele antes e durante a contratação.
 
Outras constatações
A pesquisa constatou que a apresentação/venda deste tipo de garantia carece de informação prévia adequada – um dos direitos básicos do consumidor (art. 6 do CDC). Além da oferta irregular (vendedores não oferecem esse serviço como um seguro, não informam previamente sobre as coberturas e exclusões que estão previstas nas Condições Gerais da Apólice de Seguro e só entregam o contrat no ato da contratação), a pesquisa constatou que, dentre os consumidores que contrataram o seguro garantia estendida, a maioria não o utilizou (63,22%) e, dentre os que o utilizaram, metade teve problemas.
O principal problema apresentado foi: “exclusão de cobertura por mau uso do produto” (56,25%). Em segundo lugar, aparece: “não trocou o produto conforme estava previsto em contrato” (25%). Após a constatação do problema, todos os entrevistados que tentaram cancelar o seguro não conseguiram.
 
Também faz parte deste trabalho uma sondagem física envolvendo 25 estabelecimentos comerciais e sondagem virtual em 12 lojas com objetivo de constatar como é oferecida a garantia estendida ao consumidor.
 
Nos estabelecimentos físicos, os resultados mostram que 100% (25) trabalham com essa modalidade de seguro. A pesquisa apurou também, que todos os vendedores abordados não oferecem esse serviço como seguro, e sim como uma extensão da garantia contratual. É importante destacar que em 80% dos estabelecimentos pesquisados (20), os vendedores informaram que as Condições Gerais da Apólice são disponibilizadas somente no ato ou após a compra do produto.
 
Nas lojas virtuais, a pesquisa constatou que 75% (9) comercializam este seguro. Também nesta modalidade de compra, detectou-se que a maioria dos sites informa que se trata de uma extensão da garantia do fabricante.
 
Metodologia
A pesquisa foi realizada em três etapas:
- entrevistas pessoais realizadas com consumidores, nos dias 18 e 19 de agosto, por meio de aplicação de 303 questionários estruturados;
- sondagem física realizada nos dias 29 e 30 de julho envolvendo 25 estabelecimentos comerciais distribuídos pelas regiões norte, sul, leste e oeste do município de São Paulo;
- pesquisa em 12 lojas virtuais.
 
Informações prestadas pelos vendedores
 
Relação dos Estabelecimentos
 
Informações obtidas nos sites das lojas
 
Resultados da Pesquisa
 
16/10/2009
Assessoria de Imprensa
Procon-SP
 
 


 

Fundação PROCON SP - Todos os direitos reservados